sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

SONHO APOCALIPTICO.

Alguns estudiosos denominam o sonho como algo que é formado no nosso inconsciente e se materializa em forma de cenas irreais. Há quem diga que, o sonho nada mais é, que um sentimento reprimido pelo consciente e expelido para fora através do subconsciente memorial. Também existem os que defendem a hipótese de que o que denominamos de sonho nada mais é que um estado de criatividade mental, onde quando a mente encontrada em estado de relaxamento dá espaço a uma espécie de transe hipnótico hiper criativo, capaz de elevar a imaginação humana ao seu ápice. Uns dizem que só nós humanos temos a capacidade de sonhar, outros são menos egocêntricos e discordam, crêem na tese de que alguns animais também sonham. Pois bem, seja qual for a (as) teoria (s) correta (s) também sonhamos e sonhei em uma bela tarde de verão, um sonho não tão bom, diria até: um pesadelo! Nunca iria imaginar que numa tarde linda de sol iria sonhar com tamanhas maldades... Sonhei que irmãos matavam irmãos por inveja, filhos matavam pais em troca de heranças milionárias, famílias se separavam depois de décadas de um casamento feliz e harmonioso pelo pecado da luxuria. Sonhei que mães não planejando o feto que se encontrava em seu ventre, realizavam abortos indiscriminadamente, acabando com a vida de um ser que nem pediu para ser gerado. Sonhei que crianças ao brincarem nas ruas eram atropeladas por carros guiados pela pressa do capitalismo, na mesma rua, balas perdidas encontravam as asas e salgavam o sangue doce de anjos inocentes. Também no sonho, vi políticos fazendo promessas no que tange a questão de melhorias na vida da população menos favorecida, quando na realidade os mesmos ficam com uma grande porcentagem dos recursos destinados para tais melhorias, deixando de empregar o dinheiro em pro da população para pensar no seu próprio lucro. O que imperava no planeta do meu sonho era o desrespeito humano, pois, são se respeitava mais os idosos e a lei era algo que se remetia a idéia de que quanto mais dinheiro o sujeito detinha, mais humilhava os que não tinham, o capital acumulativo era a fonte de respeito. Vi inocentes detidos, torturados e mortos, enquanto ao mesmo tempo, culpados eram inocentados pelo simples fato de possuir influência na alta roda da sociedade. Vi homens matando e morrendo em nome de um Deus que a coisa que menos quer é a guerra. Inundações, secas, terremotos, incêndios, extinção da fauna e flora, poluição de mares e rios, epidemias... Também faziam parte deste meu sonho. Minha tarde (que para os que estavam acordados era uma linda tarde de verão) se transformou praticamente no Apocalipse. O Pesadelo durou quase que toda a tarde e por mais contraditório que seja ao escurecer e a lua surgir junto com o frio, me senti melhor. Acordei e descobri que o sonho era realidade, a mais pura e limpa realidade. Percebi que o caos está dominando o mundo, nos dominando. O pior é que, nesse caso o caos é ruim, antes fosse o caos do antigo Egito, que formava e não deformava. Hoje posso ser até atrevido e lançar minha própria tese sobre o que venha a ser denominado um sonho, para mim, um sonho nada mais é que a realidade virtual psíquica atemporal ou temporal, percebida por pessoas que estão cansadas de querer ser o que os outros querem que elas sejam.